Professor por vocação

Professor por vocação
Nós...

domingo, 8 de janeiro de 2012

Stefan e Damon

CRÔNICAS DIÁRIAS






Dizem que existem “tipos de homens”. Uns são pra vida toda. Outros, só pra uma noite.
Ouvi isso numa balada e não podia estranhar, porque aquele era realmente o momento e o lugar pra ouvir uma coisa assim, mas confesso que depois, em casa, com o controle remoto em punho, acabei testemunhando, na ficção, as palavras proféticas de minha companheira de farra.
É fato que existem homens que bebem, dançam, passam cantadas que funcionam e, às vezes acabam na vida da gente. Esse não é bem o problema. O problema é que, hoje em dia, tudo acontece tão rápido que nem nos damos tempo pra saber mesmo que “tipo” de homem é o tal fulano. Depois que ele já está “dentro”, temos de lidar com a bendita da insegurança, o maldito do amor próprio que muitas vezes falta, enfrentar os erros de julgamento que só aparecem quando passa o impacto inicial de se estar com alguém. Principalmente se o cara for “do tipo bom em tudo”...Aí o problema aumenta.
Não sei se seria legal falar em “tipos de homens” porque isso seria rotular, então talvez seja possível analisar, por exemplo...Homens que choram de emoção, que gostam de criança, que não têm medo de compromisso, que, vez ou outra, cozinham pra você enquanto você bebe vinho no sofá, conversando com ele sobre coisas legais; que te buscam e te levam a lugares necessários, mas inconvenientes; que passam a noite no hospital com você ou com um parente seu, se for preciso; que enfrentam o seu câncer e não se divorciam porque você envelheceu... Homens que dividem problemas, que te dão valor porque você têm trabalhado tanto e continua linda, apesar de tudo; que dormem e acordam do seu lado, sem trocar sua companhia por quaisquer outras...
Em compensação posso pensar em homens que se sentem incompreendidos porque não conseguem falar de outro assunto que não seja o campeonato brasileiro; que acham que te levar em casa e não voltar pra farra é um enorme sacrifício; que fazem da banca de jogo um altar; que enxergam em sua melhor amiga uma oportunidade a mais de mostrarem que são “homens”; que são viciados em sexo, drogas ou rock’n’roll. Não vou dizer que há homens que mentem porque todo mundo mente, mas há homens que além de mentir, traem, enganam, são falsos, traiçoeiros, invejosos, desonestos. E há uma categoria de homens que fazem tudo isso, e ainda agridem.
Posso pensar em mais, mas... ainda não é esse o “x” da questão.
O x da questão é que temos escolha.
E sem essa de que “a coisa tá difícil”, de que “o mercado tá escasso, pega o que aparecer” porque esse é mesmo o cúmulo da baixa estima. Não que seja legal viver esperando o príncipe, mas pelo menos... alguém que se encaixe no meu perfil de bom companheiro, e como não há, de fato, ninguém igual a ninguém, há muitas opções.
Por falar em príncipe, hoje em dia, é difícil até saber que príncipe esperar, porque se pensarmos no que Charles foi pra Diana não teremos expectativas pra William e Kate. Mas se pensarmos em “Charles e Camila”...
Ainda preciso fazer justiça a Damon. Não que ele se encaixe aqui no protótipo do inconveniente, mas, sendo o cara mal da história, ele também é o rosto mais bonito em questão, cheio de atrativos irresistíveis, moreno, alto de olhos azuis, capaz de te levar a loucura e de encher o seu sangue de adrenalina.
Damon é o cara que vai ficar por uma noite. Uma noite inesquecível e intensa, cheia de loucuras e etc... que vai acabar quando o dia amanhecer.
Há quem viva feliz assim.
Mas se quer saber, existe Stefan, que apesar de ser um “vampiro”, vai me amar pela eternidade, ainda que de um jeito imperfeito. No fundo, no fundo... é o que eu quero.
Como eu disse, temos escolha. E é isso o que importa.

3 comentários:

  1. Quando voce disse "Homens que choram de emoção, que gostam de criança, que não têm medo de compromisso, que, vez ou outra, cozinham pra você enquanto você bebe vinho no sofá, conversando com ele sobre coisas legais; que te buscam e te levam a lugares necessários, mas inconvenientes; que passam a noite no hospital com você ou com um parente seu, se for preciso; que enfrentam o seu câncer e não se divorciam porque você envelheceu... Homens que dividem problemas, que te dão valor porque você têm trabalhado tanto e continua linda, apesar de tudo; que dormem e acordam do seu lado, sem trocar sua companhia por quaisquer outras..." achei que me conhecia!!!

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkk... Você precisa de amor, cara!!!

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkk,todos nós precisamos de amor, inclusive você !!!! e quem não precisa?????? kkkkkkkkkkkk, mas eu to falando sério!!!! a única coisa disso aí que voce escreveu que eu ainda não fiz(e nem quero fazer) pela minha esposa, foi enfrentar um câncer, todo o resto eu fiz e faço... por isso eu fiz o comentário... esse é o meu perfil...

    ResponderExcluir