Professor por vocação

Professor por vocação
Nós...

quarta-feira, 11 de abril de 2012

EE. CORONEL CALHAU DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO - R.0.3.5.C.3. Atividade Complementar – Português /Gramática Prof. Áurea Christina SINTAXE - 2 TIPOS DE PREDICADO - gabarito - 3º ano __________________________________ ► Predicado é o termo da oração que expressa algo sobre o sujeito. Em termos práticos, é aquilo que se diz do sujeito, quando este existe. Ora, se o predicado expressa algo sobre o sujeito, podemos dizer que: "tudo o que não for sujeito será predicado": • Minha irmã / perdeu a carteira. Identificando o Sujeito: Quem perdeu a carteira? Minha irmã. Portanto: perdeu a carteira é o predicado. Lembre-se: tudo o que não for sujeito será predicado. ► Uma oração pode não ter o sujeito, mas sempre terá predicado. Porque se não houver o verbo, não haverá o sujeito, nem complementos, nem nada. TIPOS DE PREDICADO ► Todo predicado tem um núcleo (uma palavra que contém a ideia principal). De acordo com o núcleo, o predicado se classifica em: Verbal – o núcleo é um verbo significativo, isto é, um verbo que indica uma "ação praticada pelo sujeito": • A moça / [ensinava] a meia dúzia de garotos. • O Aluno / [questionou] o professor ► Os verbos significativos ensinar e questionar estão indicando a ação praticada pelo sujeito moça e aluno. Lembre-se: o predicado verbal tem sempre como núcleoum verbo de ação. Nominal – o núcleo é o nome (substantivo, adjetivo, pronome). O verbo, neste caso, apenas liga o sujeito à palavra que o qualifica, ou seja, não expressa ação. Estes verbos recebem o nome de verbos de ligação: • Minha namorada / está atrasada. - Nós / ficamos alegres. • A novela / continua enfadonha. ► No predicado nominal, o verbo não tem tanta importância que podemos retirá-lo, sem haver perda significativa do entendimento: • A novela enfadonha / Nós alegres / Minha namorada atrasada. ► São verbos de ligação: Ser, Estar, Continuar, Parecer, Permanecer, Ficar, Tornar-se, etc. Verbo-Nominal – apresenta dois núcleos: um formado por um verbo que expressa ação (significativo) e outro, por um ou mais nomes que indicam uma qualidade ou estado do sujeito ou do objeto. É uma construção sintética que funde duas orações: • Elas /agora viajarão (ação) sozinhas (estado). ► Ou seja: Elas agora viajarão. (pv) / Elas estão sozinhas. (pn) • A velha / voltou (ação) para casa (OI) tranquila (estado). ► Ou seja: A velha voltou para casa. (pv) / A velha estava tranquila. (pn) ®Sérgio Exercícios Identifique e Classifique o Predicado: 01. José chegou cansado. 02. O espetáculo foi emocionante. 03. Chove bastante na minha região. 04. O professor já corrigiu as provas. 05. Prenderam o ladrão. 06. Monica é muito simpática. 07. Vive-se bem no campo. 08. Perdi minha caneta. 09. Você acha minha caneta feia? 10. Os excursionistas chegaram cansados. 11. Bateram à porta. 12. Estava irritado com as brincadeiras. 13. Compareceram todos atrasados à reunião. 14. Come-se com fartura em sua casa. 15. Foi muito difícil a última questão. 16. Cresceram bastante aquelas árvores. 17. O ônibus saiu atrasado. 18. Anoiteceu. 19. Chegaram os filhos da vizinha. 20. Crê-se em Deus. 21. Todos ficaram quietos. 22. Magda abriu o pacote, surpresa. 23. O filme é impróprio a menores de 18 anos. 24. A taxa de mortalidade infantil está elevada. 25. A chuva caia fina. 26. Choveu garrafa vazia lá de cima. 27. Trovejou muito. 28. Ele criou um bom enredo para a história. 29. Jovens optam por uma vida mais saudável. 30. O eclipse total do sol começa às oito horas. 31. O cão uivava triste ao luar. 32. Nesse instante um forte trovão abalou os ares. 33. A História é a mestra da vida. 34. A despedida deixava a mãe aflita. 35. Jorge aceitou o trato. 36. Belíssimo realmente é o seu apartamento. 37. As doenças e as guerras ceifam milhares de vida. 38. O menino abriu a porta ansioso. 39. Raros são os verdadeiros líderes. 40. Marta entrou séria. 41. Os alunos saíram da aula alegres. 42. Choviam flores do helicóptero. 43. À noite, eu e Rodrigo iremos ao cinema. 44. Ele trovejava impropérios sobre a turba. 45. Quebraram a lanterna do meu carro. 46. Subitamente, pararam todos. 47. Estavam com fome. 48. Aproximou-se então uma menina. 49. Soou na escuridão uma pancada seca. 50. A criança entrou no quarto feliz. ®Sérgio. Gabarito dos Exercícios 01. José / chegou (ação) cansado (estado). (verbo-nominal) 02. O espetáculo / foi emocionante. (nominal) 03. Chove (ação) bastante na minha região. (verbal) 04. O professor já corrigiu as provas. (verbal) 05. Prenderam (ação) o ladrão. (verbal) 06. Monica / é muito simpática. (qualidade = nominal) 07. Vive-se (ação) bem no campo. (verbal) 08. (Eu) / Perdi (ação) minha caneta. (verbal) 09. Você acha minha caneta feia? (verbo-nominal) 10. Os excursionistas / chegaram cansados. (verbo-nominal) 11. Bateram (ação) à porta. (verbal) 12. (Ele) / Estava irritado (estado) com as brincadeiras. (nominal) 13. (Todos) / Compareceram atrasados à reunião. (verbo-nominal) 14. Come-se com fartura em sua casa. (verbal) 15. Foi muito difícil (estado=nominal) / a última questão (sujeito). 16. Cresceram (verbal) bastante / aquelas árvores (sujeito). 17. O ônibus / saiu (ação) atrasado (estado). (verbo-nominal) 18. Anoiteceu. (verbal) 19. Chegaram (verbal) / os filhos da vizinha (sujeito). 20. Crê-se em Deus. (verbal) 21. Todos / ficaram quietos. (nominal) 22. Magda abriu o pacote, surpresa. (verbo-nominal) 23. O filme / é impróprio a menores de 18 anos. (nominal) 24. A taxa de mortalidade infantil / está elevada (nominal). 25. A chuva caia fina. (verbo-nominal) 26. [Garrafa vazia] / Choveu lá de cima. (verbal) 27. Trovejou muito. (verbal) 28. Ele / criou um bom enredo para a história. (verbal) 29. Jovens / optam por uma vida mais saudável. (verbal) 30. O eclipse total do sol / começa às oito horas. (verbal) 31. O cão / uivava (ação) triste (estado) ao luar. (verbo-nominal) 32. Nesse instante, um forte trovão / abalou os ares. (verbal) 33. A História / é a mestra da vida. (nominal) 34. A despedida deixava a mãe aflita. (verbo-nominal) 35. Jorge / aceitou o trato (verbal). 36. Belíssimo realmente é (nominal) /o seu apartamento (sujeito). 37. As doenças e as guerras / ceifam milhares de vidas. (verbal) 38. O menino / abriu (ação) a porta ansioso (estado). (verbo-nominal) 39. Raros são (nominal) / os verdadeiros líderes (sujeito). 40. Marta / entrou (ação) séria (estado). (verbo-nominal) 41. Os alunos saíram da aula alegres. (verbo-nominal) 42. Choviam (verbal) [flores (sujeito) ] do helicóptero. 43. À noite, eu e Rodrigo / iremos ao cinema. (verbal) 44. Ele / trovejava impropérios sobre a turba. (verbal) 45. Quebraram a lanterna do meu carro. (verbal) 46. Subitamente, pararam (verbal) / todos (sujeito). 47. (Eles) / Estavam com fome. (nominal) 48. Aproximou-se (verbal) então / uma menina (sujeito). 49. Soou (verbal) na escuridão / uma pancada (sujeito) seca. 50. A criança entrou no quarto feliz. ®Sérgio. 2)Exercícios I. Indique e classifique o predicado e o predicativo, quando houver. 1 - Rômulo está ausente. 2 - O menino dormia satisfeito 3- O diretor não consegue falar alto. 4- No Domingo, fiquei em casa. 5 - Nesta terra, não se vive. 6 - Fa-lo-emos prisioneiro. 7 - Ela parecia espantada. 8 - Temo-lo por bom. 9 - Houve informações satisfatórias. 10 - A dor permanecia a mesma. 11 - Ela falava com segurança. 12 - A professora elogiou-o satisfeita. 13 - "Um fraco rei faz fraca a forte gente. 13 - Não durmo de dia. 14 - Todos morrerão um dia. 15 - A caneta apareceu quebrada. 16 - O pássaro voou assustado. 17 - A dor torna os homens mais sensatos. 18 - Permaneço no escritório aos sábados. 20 - O valente guerreiro chegou abatido. Respostas 1 - Rômulo está ausente. Predicado nominal /Predicativo do sujeito=ausente 2 - O menino dormia satisfeito. Predicado verbo-nominal/Predicativo do sujeito=satisfeito 3- O diretor não consegue falar alto. Predicado verbo-nominal/Predicativo do sujeito=alto 4- No Domingo, fiquei em casa. Predicado verbal 5 - Nesta terra, não se vive. Predicado verbal 6 - Fa-lo-emos prisioneiro. Predicado verbo-nominal/Predicativo do objeto=prisioneiro 7 - Ela parecia espantada. Predicado nominal/Predicativo do sujeito=espantada 8 - Temo-lo por bom. Predicado verbo-nominal/Predicativo do objeto=por bom 9 - Houve informações satisfatórias. Predicado verbo-nominal/Pred. do objeto=satisfatórias 10 - A dor permanecia a mesma. Predicado nominal/Predicativo do sujeito=a mesma 11 - Ela falava com segurança. Predicado verbo nominal/Predicativo do sujeito=com segurança 12 - A professora elogiou-o satisfeita. Predicado verbo-nominal/Predicativo do sujeito=satisfeita 13 - "Um fraco rei faz fraca a forte gente."Predicado verbo-nominal/Predicativo do objeto=fraca 13 - Não durmo de dia. Predicado verbal 14 - Todos morrerão um dia. Predicado verbal 15 - A caneta apareceu quebrada. Predicado nominal/Predicativo do sujeito=quebrada 16 - O pássaro voou assustado. Predicado verbo-nominal/Predicativo do sujeito=assustado 17 - A dor torna os homens mais sensatos. Predic. verbo-nominal/Pred. do objeto=mais sensatos 18 - Permaneço no escritório aos sábados. Predicado verbal 20 - O valente guerreiro chegou abatido. Predicado verbo-nominal/Pred. do sujeito=abatido II. Justifique porque o predicado desta oração é nominal: "Os olhos não estavam bem fechados." a) O seu núcleo é um nome. b) O seu núcleo é verbo intransitivo. c) O seu núcleo é um verbo de ligação. d) O núcleo nada tem a ver com o tipo do predicado. III. Indique e classifique o predicativo das frases que seguem: a) A notícia deixou todos aliviados. b) Desencanto é a palavra-chave do Brasil de hoje. c) A idéia parecia simples e estimulante. d) Alguns deputados consideram esta lei ultrapassada. e) Esta lei é considerada ultrapassada por alguns deputados. f) Os cientistas se esforçam por tornar possível o impossível. Os políticos, por fazer o possível, impossível. Respostas 2-a III a) A notícia deixou todos aliviados. Predicativo do objeto b) Desencanto é a palavra-chave do Brasil de hoje. Predicativo do sujeito c) A idéia parecia simples e estimulante. Predicativo do sujeito d) Alguns deputados consideram esta lei ultrapassada. Predicativo do objeto e) Esta lei é considerada ultrapassada por alguns deputados. Predicativo do sujeito f) Os cientistas se esforçam por tornar possível o impossível. Os políticos, por fazer o possível, impossível. Predicativo do objeto=possível /Predicativo do objeto=impossível Exercícios resolvidos de sintaxe – parte 2 21. "Um esparso tilintar de chocalhos e guizos morria pelas quebradas." Qual é o sujeito e o tipo de sujeito desta oração? a) Um esparso tilintar de chocalhos e guizos / simples. b) Um esparso tilintar de chocalhos e guizos / composto. c) Um esparso tilintar / simples. d) Chocalhos e guizos / composto. 22. "Não choremos, amigos, a mocidade." Qual é o tipo de sujeito desta oração? a) Sujeito indeterminado. b) Sujeito oculto. c) Sujeito simples. d) Oração sem sujeito. 23. "Corriam por aqueles dias boatos da revolução." Nesta oração o tipo de sujeito é: a) Sujeito simples. b) Sujeito oculto. c) Oração sem sujeito. d) Sujeito indeterminado. 24. "O homem, a fera e o inseto, à sombra delas, vivem livres de fome e fadigas." Nesta oração o sujeito é: a) Sujeito indeterminado. b) Oração sem sujeito. c) Sujeito oculto. d) Sujeito composto. 25. Justifique por que o sujeito desta oração é oculto: "Não chores, meu filho." a) Não é possível identificar o sujeito. b) O sujeito é o próprio verbo. c) O praticante da ação é "tu", mas não aparece grafado. d) O sujeito está indeterminado. 26. Justifique porque o predicado desta oração é nominal: "Os olhos não estavam bem fechados." a) O seu núcleo é um nome. b) O seu núcleo é verbo intransitivo. c) O seu núcleo é um verbo de ligação. d) O núcleo nada tem a ver com o tipo do predicado. 27. Flores me são os teus lábios. Qual é o tipo de predicado desta oração? a) Nominal. b) Verbal. c) Verbo-nominal. d) Não há predicado. 28. O núcleo de um predicado nominal pode ser: a) Adjetivo, substantivo, pronome substantivo, verbo, numeral. b) Adjetivo, locução adjetiva, substantivo, palavra substantivada, pronome substantivo, numeral. c) Adjetivo, locução adjetiva, pronome substantivo, palavra substantivada, verbo. d) Adjetivo, substantivo,pronome substantivo, locução adjetiva, advérbio, numeral. 29. "Você virou pau-de-amarrar-égua?" Qual a função sintática de "pau-de-amarrar-égua"? a) Sujeito indeterminado. b) Predicativo do sujeito. c) Predicativo do objeto. d) Adjunto adnominal. 30. "Você virou pau-de-amarrar-égua?" Justifique porque este predicado é nominal. a) O seu núcleo é um substantivo. b) O seu núcleo é uma locução adjetiva. c) Locuções não podem ser núcleos de predicados. d) O seu núcleo é um verbo de ligação. 31. "A verdade é que ninguém estudou." Qual é o núcleo do predicado desta oração? a) Ninguém estudou. b) Que ninguém estudou. c) A verdade. d) Ninguém. 32. "Durante meses o azul do céu virou um picadeiro de luta." Qual é o predicado e qual o seu tipo? a) Virou um picadeiro de luta / nominal. b) Picadeiro de luta / nominal. c) Virou um picadeiro / verbal. d) Virou um picadeiro de luta / verbo-nominal. 33. "O crepúsculo vai ficando cada vez mais pálido." Qual o núcleo do predicado e qual o seu tipo? a) Pálido / verbal. b) Cada vez mais pálido / verbo-nominal c) Cada vez mais / nominal. d) Cada vez mais pálido / nominal. 34. "Galos cantam no despertar da aurora." Qual é o núcleo do predicado desta oração e qual o seu tipo? a) Cantam / verbo-nominal. b) Cantam / nominal. c) Cantam no despertar da aurora / verbal d) Cantam / verbal 35. "O romântico jovem passeava com sua namorada no parque municipal." Destaque o predicado desta oração e defina o seu tipo. a) Passeava com sua namorada / verbal b) Passeava / verbal c) Passeava com sua namorada no parque municipal / verbo-nominal. d) Passeava com sua namorada no parque municipal / verbal. 36. Todas as alternativas abaixo estão corretas quanto à concordância nominal, exceto: a) Foi acusado de crime de lesa-justiça. b) As declarações devem seguir anexas ao processo. c) Eram rapazes os mais elegantes possível. d) É necessário cautela com os pseudolíderes. e) Seguiram automóveis, cereais e geladeiras exportados. 37. Mostre onde há erro de concordância nominal: a) É permitida a permanência de alunos. b) A lista de ofertas vai anexa ao pacote. c) Os gêneros alimentícios estão caros no Brasil. d) A porta está meia aberta. 38. Mostre onde há erro de concordância nominal: a) É permitida a permanência de alunos. b) A lista de ofertas vai anexa ao pacote. c) Os gêneros alimentícios estão caros no Brasil. d) A porta está meia aberta. 39. Há erro de concordância verbal na opção: a) Comeram-se os doces. b) Faz meses que ele chegou. c) Existem poucas árvores lá. d) Vender-se-iam casas. e) Houveram muitos pedidos. 40. Assinale o período em que o verbo aspirar apresenta erro de regência: a) Marta aspirou fundo o perfume das flores. b) Se aspiras ao poder, prepara-te para enfrentar grandes desafios. c) Dinheiro e fama são coisas que não aspiro. d) Bom seria inventar aparelhos que aspirassem o lixo e a poeira das ruas. e) Todos nós aspiramos ao cargo de diretor da empresa. 41. A oração grifada está em forma reduzida (de infinitivo): "Apesar de só dizer a verdade, não lhe deram crédito". Assinale a alternativa em que ela aparece desenvolvida de forma correta. a) Apesar que só dizia a verdade, não lhe deram crédito. b) Apesar que só dissesse a verdade, não lhe deram crédito. c) Visto que só dizia a verdade, não lhe deram crédito. d) Embora só dissesse a verdade, não lhe deram crédito. e) Mesmo dizendo a verdade, não lhe deram crédito. 42. Aponte a alternativa em que a regência do verbo pagar contraria a norma culta. a) Aliviando-se de um verdadeiro pesadelo, o filho pagava ao pai a promessa feita no início do ano. b) O empregado pagou-lhe as polias e tachas roídas pela ferrugem para amaciar-lhe a raiva. c) Pagou-lhe a dívida, querendo oferecer-lhe uma espécie de consolo. d) O alto preço dessa doença, paguei-o com as moedas de meu hábil esforço. e) Paguei-o, com ouro, todo o prejuízo que sofrera com a destruição da seca. 43. Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas das seguintes frases: Ninguém é obrigado ______ fazer o que não quer. Ele disse ______ ela que estava feliz. Ele mentiu para não causar sofrimento ______ outras pessoas. a) a, a, a b) à, a, a c) à, à, à d) a, à, à e) a, a, à. 44. Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas das seguintes frases: Foi graças ______ esse olhar que você o conquistou. Ele foi o primeiro ______ chegar. Não compare sua filha ______ ela. a) a, à, a b) à, à, à c) à, a, a d) a, a, a e) a, a, à 45. Ocorre crase FACULTATIVA em: a) Temos muitas coisas a fazer. b) Eles estavam cara a cara. c) Nunca obedeceremos a ela. d) Ela foi a pé para casa. e) Amanhã iremos a minha cidade. ———————————————— RESPOSTAS: 21. Resposta: A Explicação da Resposta: Embora este sujeito possua um número considerável de palavras, há apenas um núcleo, que é "tilintar". Dessa forma, o sujeito é simples. Observe que o verbo está na terceira pessoa do singular: "morria". 22. Resposta: B Explicação da Resposta: O sujeito está oculto, mas pode ser identificado (nós). 23. Resposta: A Explicação da Resposta: Note que esta oração se encontra na ordem inversa. Na ordem direta, tem-se: "Boatos da revolução corriam por aqueles dias." Observe que o sujeito (boatos da revolução) possui apenas um núcleo (boatos). Por essa razão, tem-se sujeito simples. 24. Resposta: D Explicação da Resposta: O sujeito desta oração possui três núcleos: homem / fera / inseto. Neste caso, trata-se de sujeito composto. Veja que o verbo está na terceira pessoa do plural (vivem). 25. Resposta: C Explicação da Resposta: É possível detectar o pronome "tu" nesta oração, que denota inclusive uma linguagem coloquial. 26. Resposta: A Explicação da Resposta: Quando um predicado exprime a qualidade ou o estado do sujeito é chamado de nominal, porque o seu núcleo é constituído por um nome (sintaticamente predicativo), acompanhado de um verbo de ligação. 27. Resposta: A Explicação da Resposta: O núcleo deste predicado é um nome com a função sintática de predicativo do sujeito, exprimindo assim uma qualidade do sujeito. Observe que há verbo de ligação. 28. Resposta: B Explicação da Resposta: Verbo e advérbio não caracterizam um predicado nominal. 29. Resposta: B Explicação da Resposta: Trata-se de predicativo do sujeito, posto que está exprimindo uma qualidade do sujeito (você). 30. Resposta: B Explicação da Resposta: A oração é composta pelo verbo de ligação (virar) mais locução adjetiva, a qual atua sintaticamente como predicativo do sujeito (núcleo) 31. Resposta: B Explicação da Resposta: O predicado nominal também pode ter seu núcleo constituído por toda uma oração. 32. Resposta: A Explicação da Resposta: Sabendo que "virar" é verbo de ligação e que o predicado da oração é "virou um picadeiro de luta", tem-se predicado nominal. 33. Resposta: D Explicação da Resposta: "Ficar" é verbo de ligação e a expressão "cada vez mais pálido" constitui a qualidade do sujeito (crepúsculo). Assim, essa expressão é o núcleo do predicado e o seu tipo é nominal. 34. Resposta: D Explicação da Resposta: "Cantam" é um verbo intransitivo, não pede objeto. Por constituir a parte principal da declaração deste predicado,"cantam" exerce função de núcleo do predicado. Por ser verbo, o predicado é verbal. 35. Resposta: D Explicação da Resposta: "Passear" é um verbo intransitivo, não pede objeto e constitui a parte principal da oração. Trata-se de um predicado verbal. 36. Resposta: C Explicação da Resposta: O adjetivo possível, usado com o superlativo relativo, concorda com o artigo. A concordância correta da frase é: Eram rapazes os mais elegantes possíveis. 37. Resposta: D Explicação da Resposta: Meio, quando advérbio, permanece invariável: A porta está meio aberta. 38. Resposta: D Explicação da Resposta: Meio, quando advérbio, permanece invariável: A porta está meio aberta. 39. Resposta: E Explicação da Resposta: O verbo haver, quando possuir sentido de existir, é verbo impessoal. Por não possuírem sujeito, os verbos impessoais ficam na terceira pessoa do singular: Houve muitos pedidos. 40. Resposta: C Explicação da Resposta: O verbo aspirar, no sentido de almejar / pretender /desejar, é transitivo indireto e exige complemento preposicionado. Assim, a regência correta é a seguinte: Dinheiro e fama são coisas a que não aspiro.

domingo, 1 de abril de 2012

Modelo de montagem do desenvolvimento trabalho "O Romantismo nas criaturas literárias"

VAMPIROS MODERNOS E ROMANTISMO CLÁSSICO:
A RECEITA DA SAGA CREPÚSCULO

Janaina Mari Cerutti

RESUMO
Este trabalho tem por objetivo mostrar os aspectos do Romantismo que foram retomados na saga Crepúsculo, da autora Stephenie Meyer. Para tal, foram analisados três personagens e suas características mais marcantes. Foi realizada a leitura das quatro obras publicadas, e de uma quinta, retirada da internet, em busca de tais características, que estão, de fato, presentes em todos os livros e determinam o comportamento e o futuro dos personagens.

1 INTRODUÇÃO
Os dados e conclusões apresentados neste trabalho têm por objetivo demonstrar em quais aspectos a saga Crepúsculo, de Stephenie Meyer, retoma o período literário Romântico. A saga, composta por quatro livros (Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse e Amanhecer) além de um quinto, incompleto e não publicado por ter “vazado” para a internet, chamado Midnight Sun, apresenta características típicas do período Romântico, tanto em seus personagens, quanto no que eles representam. Para demonstrar tais características, foram analisados três personagens: Edward Cullen, Isabella Swan e Leah Clearwater, dois deles tipicamente Românticos, e um terceiro contraponto que foge a tal norma.
Ao longo do trabalho serão citadas e explicitadas quais característica têm presença mais forte, e de que formas tais características podem ser consideradas como parte do Romantismo clássico, em se tratando de uma obra contemporânea infanto-juvenil.
Por Romantismo, entende-se o período literário apreciado pela burguesia, surgido na Europa na época pós-Revolução Francesa, e que no Brasil coincide com a Proclamação da República, em 1889. Para este trabalho, fixaremos a análise nas características mais proeminentes do Romantismo que podem ser encontradas na saga de Meyer, tais como individualismo, idealização, sentimentalismo exacerbado, egocentrismo, fusão do grotesco e do sublime, medievalismo e byronismo.

2 CARACTERÍSTICAS ROMÂNTICAS
Realizando a leitura de qualquer dos quatro livros pertencentes à saga Crepúsculo, nota-se a presença de características do Romantismo. Estas características surgem ao longo do texto, mas podem ser melhor observadas se centradas em determinados personagens, que melhor explicitam estas características.
Começaremos pela exposição das características mais marcantes e apresentação delas em relação aos personagens.

2.1 Individualismo e Egocentrismo

Características marcantes do Romantismo, que tinha seu foco no ser humano e suas emoções particulares, o individualismo e o egocentrismo aparecem em Crepúsculo desde o primeiro capítulo, demonstrado na personagem Isabella Swan, protagonista da saga. Ao iniciarmos a leitura, o primeiro aspecto individualista já aparece: o livro é narrado em primeira pessoa, com quase nenhuma consideração ou menção ao que os demais personagens possam pensar sobre as cenas. O ponto de vista é exclusivamente da protagonista.
“Nunca pensei muito em como morreria – embora nos últimos meses tivesse motivos suficientes para isso –, mas, mesmo que tivesse pensado, não teria imaginado que seria assim. [...] Sem dúvida era uma boa forma de morrer, no lugar de outra pessoa, de alguém que eu amava. Nobre, até. Isso devia contar para alguma coisa.” (MEYER, 2008, p.3)
No trecho acima, retirado da aba do livro, já se percebe como toda a trama é centrada apenas nos desejos, pensamentos e anseios da protagonista. Mesmo em frente ao que ela imagina ser a morte certa, ainda se destaca sua visão particular dos fatos. O desenvolvimento da personagem de Bella Swan é inteiramente individualista e egocentrista, mesmo quando ela interage com seu par romântico, Edward Cullen. Seus desejos sempre se sobressaem ao desejo dos demais, e suas posições sobre questões mostradas nos livros sempre ficam em primeiro lugar.
O protagonista masculino, Edward Cullen, também é um exemplo claro do individualismo. Antes de assumir sua atração por Swan, Cullen toma atitudes voltadas apenas para o que seria melhor para ele e sua família, em um segundo plano. No livro da saga não publicado por ter “vazado” para a internet, Midnight Sun, percebe-se ainda mais acentuadamente o traço individualista e egocêntrico de Edward. Seguindo o mesmo padrão dos quatro livros anteriores: centrado no personagem de Edward Cullen e contado em primeira pessoa, Midnight Sun mostra a personalidade não revelada de Edward quando vista de fora por Isabella.
“Eu me afastei dela com asco – revoltado com o monstro desesperado para tomá-la.
Por que ela tinha de vir até aqui? Por que ela tinha de existir? [...] Por que esta humana irritante tinha de ter até mesmo nascido? Ela iria me arruinar. [...]
Por que ela tinha de vir até aqui!” (MEYER, 2008, p.13)[3]
No trecho acima fica clara a maneira como Edward vê as pessoas – em especial os humanos – ao seu redor: detalhes em seu caminho, onde a única pessoa que realmente importa é ele. Mesmo o cuidado que ele tem para com a sua família nasce do desejo de se provar para seu pai adotivo, o vampiro que o transformou, Carlisle Cullen. Conforme o livro progride – tanto Crepúsculo, quantoMidnight Sun, que tratam do mesmo espaço temporal – a maneira como Edward vê Bella se transforma, mas tal transformação não ocorre por apreço a outros indivíduos em geral, mas apenas por apreço aos indivíduos que interessam ao protagonista da vez.
Nos demais livros da saga, as atitudes dos dois protagonistas podem ser vistas como notadamente individualistas e egocêntricas. O fim do primeiro livro, onde Bella e Edward fogem, não leva em consideração o estado emocional do pai da personagem principal, ou mesmo de sua mãe, ou amigos. “Repeti as últimas palavras de minha mãe quando ela saiu pela mesma porta tantos anos atrás. [...] Minhas palavras cruéis fizeram seu trabalho – Charlie ficou paralisado na soleira da porta, atordoado, enquanto eu corria para a noite.” (MEYER, 2008, p.293-294). Edward, ao decidir morrer no final do segundo livro, Lua Nova, pensa muito pouco sobre o impacto que sua morte teria sobre o restante de sua família. “Pensei que já tivesse explicado com clareza. Bella, não posso viver num mundo onde você não exista.” (MEYER, 2008, p. 411)
A um primeiro olhar, ambos os trechos usados como exemplos acima soam simplesmente românticos, mas as implicações de ambos são claras: o que importa para os protagonistas são os seus desejos e suas vontades, não a dos demais, mesmo que estas pessoas se importem com eles.
Com um sem número de exemplos nos cinco livros que contam sua história, os dois personagens demonstram de diversas maneiras que, apesar da maneira como são retratados, idealizados, característica que será tratada no próximo item de discussão, ambos estão centrados apenas em si, e naqueles que importam para eles, marca acentuadamente romântica.

2.2 Idealização

Traço que é o mais marcante durante toda a obra, a idealização dos protagonistas da saga Crepúsculo deixa algumas idealizações classicamente Românticas parecendo quase realistas em seus exageros.
“Foi ali, sentada no refeitório, tentando conversar com sete estranhos curiosos, que eu os vi pela primeira vez. [...] A alta era escultural. Linda, do tipo que se via na capa da edição de trajes de banho da Sports lllustrated, do tipo que fazia toda garota perto dela sentir um golpe na auto-estima só por estar no mesmo ambiente. O cabelo era dourado, caindo delicadamente em ondas até o meio das costas. A menina baixa parecia uma fada, extremamente magra, com feições miúdas. O cabelo era de um preto intenso, curto, picotado e desfiado para todas as direções. [...] Fiquei olhando porque seus rostos, tão diferentes, tão parecidos, eram completa, arrasadora e inumanamente lindos. Eram rostos que não se esperava ver a não ser talvez nas páginas reluzentes de uma revista de moda. Ou pintados por um antigo mestre como a face de um anjo. Era difícil decidir quem era o mais bonito – talvez a loura perfeita, ou o garoto de cabelo cor de bronze.” (MEYER, 2008, p.19)
O trecho acima é a primeira visualização da família Cullen com que o leitor das obras entra em contato. As descrições da autora são idealizadamente perfeitas, levando em consideração não apenas a beleza clássica mítica de vampiros em geral, mas principalmente referências a estilos de beleza da época atual, em que o livro foi escrito. A partir deste momento, a cada vez que os Cullen são de alguma forma citados – em especial Edward – é raro que não haja menções à beleza, riqueza, educação, porte ou bom gosto deste núcleo de personagens.
Edward Cullen recebe mais adjetivos positivos em três páginas do primeiro livro da saga,Crepúsculo, do que alguns personagens em outras obras recebem no livro todo. “É o Edward. Ele é lindo, é claro, mas não perca seu tempo.” (MEYER, 2008, p.21). Ao longo da história, percebe-se que não apenas a sua beleza se destaca, mas também seu senso de humor, seu gosto musical, educação, força e coragem. Edward é perfeito e idealizado até mesmo em sua condição de vampiro: onde o mito clássico morre dolorosamente ao entrar em contato com a luz do sol, a espécie de Edward apenas brilha, com um efeito que Swan descreve como “uma miragem, lindo demais para ser real…” (MEYER, 2008, p.196). Além da beleza física, Edward também tenta se afastar de Bella a princípio, demonstrando indícios de um cavalheirismo que parece não estar presente em Midnight Sun, mas que aos olhos de Bella é encantador. Sua família também se afasta do mito de vilão vampiresco pelo fato de que não se alimentam de pessoas, mas sim do sangue de animais, sendo chamados de “vegetarianos”. Edward é um ser perfeito em todas as dimensões da palavra.
Já Isabella Swan, por outro lado, tem uma idealização que se julga não intencional. A obra, como já foi dito antes, é narrada do ponto de vista da protagonista, e da maneira como ela mesma se vê, Bella é sem graça e comum, pálida, magra, de olhos e cabelos castanhos, uma garota tipicamente normal. No entanto, todos os garotos da escola a notam quando ela muda de cidade. Seu amigo de infância, e rival de Edward pelo amor de Bella, Jacob Black, também a percebe como atraente e interessante o suficiente para que ele se apaixone profundamente. A maneira como ela é representada – retratada como comum através de seu próprio ponto de vista – atribui ainda mais uma qualidade à personagem: Bella não apenas é bonita como também é modesta. “‘Ela vai ficar deslumbrante.’ (Alice disse), Edward rosnou baixinho. ‘Ela sempre foi.’”[4] (MEYER, 2008, p. 285), este trecho, retirado do quarto e último livro publicado da saga, Amanhecer, demonstra um dos poucos momentos em que o ponto de vista principal está focado na opinião de outras personagens que não de Bella. Nele, fica claro que Edward já a via como bela antes mesmo de sua transformação em vampira, o que implica em beleza física, além de traços de personalidade favoráveis.
Um dos traços mais interessantes da idealização nas obras é não apenas a idealização que poderia ser vista como moderna – o gosto musical, as roupas, a riqueza, os carros, o padrão de beleza – mas também momentos em que a idealização transcende a época de Bella Swan, nosso presente atual, e alcança ideais de idealização verdadeiramente Românticos, como a amada intocada. Isabella tem de ser chantageada para que aceite se casar com Edward, mas casa-se virgem, com vestido de época em uma homenagem ao seu futuro marido. Não apenas aí reside este “envelhecimento” da idealização, mas Bella também demonstra grande aptidão para trabalhos domésticos. Em mais de uma ocasião, ela menciona que cozinha e cuida da casa para o pai, que antes parecia sobreviver de fastfood, como no trecho a seguir: “’Pode ficar para o jantar?’, Billy também estava ansioso. ‘Não, preciso alimentar o Charlie, você sabe.’ (MEYER, 2008, p.108) Também em vários momentos, Bella chega a se dizer “culpada” por não cozinhar, ou realizar alguma outra tarefa doméstica, mesmo que seu pai insista que não há necessidade para que ela o faça.
Isabella Swan, como personagem, reúne características que soam como a conjunção das idealizações de todos os tempos: moderna, independente até certo ponto, mas por outro lado inocente e dada a tarefas domésticas. Bonita, mas modesta, inteligente, mas humilde, amigável, divertida e profundamente dedicada às pessoas que ama, não se importando em morrer por elas. Após a sua transformação, no último livro publicado da série, Bella alcança a idealização completa, onde além de todas as qualidades físicas de um vampiro, ela também parece ter uma afinidade natural com sua nova espécie, não tendo nem mesmo que se esforçar para não atacar humanos, ou sua filha recém-nascida, como é comum para vampiros recém-nascidos.
O casal central de Crepúsculo é a mais perfeita exemplificação da característica de idealização romântica, sendo eles considerados como casal, ou observando cada personagem separadamente.
2.3 Medievalismo
A retomada de feitos dos grandes cavaleiros da época medieval era uma constante em obras Românticas. Na saga Crepúsculo, ela aparece com frequência nas ações de Edward e Bella, geralmente sendo ação e reação de uma mesma sequência de eventos. Bella é uma personagem construída para ser a donzela em perigo e Edward, seu cavaleiro, sempre pronto para resgatá-la. A primeira vez que tal posição ocorre é ainda no primeiro livro da saga, em uma cena onde Edward resgata Bella de uma situação de perigo com desconhecidos. Depois do resgate, Edward, em uma demonstração da mais pura nobreza, deixa que os agressores vão embora sem machucá-los.
“Eu não ia cair sem levar alguém comigo. Tentei engolir para poder formar um grito decente. De repente faróis apareceram na esquina, o carro quase batendo no atarrancado, obrigando-o a pular para a calçada. Mergulhei na rua – este carro ia parar ou me atropelaria. Mas o carro inesperadamente deu uma guinada, cantando pneu, e parou com a porta do carona aberta a pouca distância de mim. ‘Entra’, ordenou uma voz furiosa.” (MEYER, 2008, p. 121)
Esta cena de resgate é apenas a primeira de uma cadeia de situações em que Edward resgata Bella de perigos diversos, inclusive de sua própria família. A partir do ponto de vista de Isabella, nos livros, ela soa como uma moça corajosa que tenta, ao menos, se livrar sozinha dos perigos. No entanto, quando o protagonista vampiro some de cena, um outro personagem encarna o herói perfeito – e de certa forma, também o mito do “bom selvagem”. Com o desaparecimento de Edward depois de resgatar Bella de ser atacada pelo seu “irmão” – ato que reforça a característica do Medievalismo em Edward – Bella retoma uma amizade com Jacob Black, um nativo americano que mais tarde se revela também um ser sobrenatural. Jacob resgata Bella não apenas física, mas emocionalmente em diversas ocasiões, colocando-o em lugar de destaque na obra como um todo. Perde-se, com a saída de Edward de cena, o herói classicamente europeu, mas o heroísmo característico do Medievalismo permanece em um traço tão forte quanto: o “bom selvagem”, Jacob Black, continua a resgatar a donzela em perigo, Isabella Swan.

2.4 Sentimentalismo Exacerbado e Byronismo

Lendo a saga de Meyer, torna-se difícil encontrar algum momento dos livros em que o sentimentalismo exacerbado não apareça. Edward é um personagem conflitante, com emoções fortes sobre as questões mais simples possíveis. Suas reações a pequenos problemas do dia-a-dia tendem a ser absolutamente exageradas e fora de proporção. Isabella sofre do mesmo mal, e os dois personagens centrais parecem não conseguir ter um momento de paz e serenidade durante todas as cinco obras. Além do exagero sentimental, os dois personagens são dados a momentos de contemplação sobre a vida e o amor, sem o qual nada parece valer à pena.
Uma das maiores demonstrações de tais características são as reações dos personagens centrais aos acontecimentos do segundo livro da série, Lua Nova. Ao ver Isabella quase ser atacada por Jasper, um de seus irmãos adotivos e também vampiro, Edward decide ir embora e deixar Forks, para que Bella possa ser mais feliz sem os riscos que estar ao lado de um vampiro traz. A ação em si não parece ser algo trágico tanto quanto seria lógica. No entanto, a maneira como Edward a faz é carregada de sentimentalismo, dor e agonia. A maneira como Bella reage à partida de Edward também mostra o quanto a personagem claramente pensa não poder viver sem aquele que julga ser o amor de sua vida.
“Ele se fora. Com as pernas trêmulas, ignorando o fato de que minha atitude era inútil, eu o segui para a floresta. O sinal de sua passagem desapareceu de imediato. Não havia pegadas, as folhas estavam imóveis de novo, mas avancei sem pensar. Não podia agir de outro modo. Precisava continuar em movimento. Se parasse de procurar por ele, estaria tudo acabado. O amor, a vida, o significado… acabados.” (MEYER, 2008, p.64)
Em um dos momentos mais inspirados da saga, Meyer coloca a sequência de meses após a partida de Edward (outubro, novembro, dezembro, janeiro) em páginas separadas e, com exceção do nome do mês, também em branco, demonstrando claramente o vazio na vida de Bella agora que Edward já não está mais ali. A vida da personagem está total e completamente centrada em Cullen. Seu amor é tão verdadeiro e tão intenso que, sem ele, já não há mais razão para continuar, não há mais motivos para seguir em frente – sua vida se torna apenas uma página em branco, em que histórias não são feitas. O tempo apenas passa, mas Bella já não vive, porque nada mais parece valer à pena, quando Edward se vai.
Mesmo a melhora que Isabella tem de seu quadro depressivo não é feita em razão da superação de seu amor. Isabella, depois de retomar a amizade com Jacob Black passa então a arriscar sua vida constantemente, em uma lembrança dos tempos em que quando ela se arriscava, Edward a resgatava.
“Eu estava ansiosa para tentar de novo; agir com imprudência mostrou ser melhor do que eu pensava. Podia deixar a trapaça de lado. Talvez eu tivesse encontrado uma forma de gerar as alucinações – isso era muito mais importante. [...] ‘Vá para a casa de Charlie’, ordenou a voz. Sua mera beleza me maravilhou. Eu não podia deixar que minha lembrança se perdesse, qualquer que fosse o preço. [...] Tinha de ser essa a receita para a alucinação: adrenalina mais perigo mais estupidez. Alguma combinação parecida com essa, de qualquer modo.” (MEYER, 2008, p.151, 152, 153)
No trecho acima, retirado de Lua Nova, Isabella começa a se recuperar de seu quadro de depressão, mas reforça ainda mais a noção de que a vida só valia a pena ao lado de Edward. As “alucinações” a que ela se refere são o eco da voz de Edward em sua mente, que ela julga ouvir ao se colocar em perigo. Repetidamente, ela arrisca a sua vida apenas para ouvir a voz de seu amado.
Se Bella tem momentos byronescos, Edward é a própria personificação de tal característica. Abandona a amada pelo seu bem, mas sofre a tal ponto por ela que, ao ouvir que ela morrera, busca ele também morrer, certo de que a vida sem sua amada não valia de nada. Este traço fortemente marcado em Edward será mais explorado no próximo item de discussão.

2.5 Fusão do Grotesco e do Sublime

Edward Cullen é, para colocarmos de maneira simples, a representação perfeita desta característica romântica. Enquanto Isabella parece fugir deste traço em particular, já que até mesmo como vampira ela tem uma resistência maior à tentação de matar, Edward se sente culpado por tudo de errado que aconteça com aqueles com quem se importa por se julgar um monstro. Em uma das frases mais famosas da saga, “E então o leão se apaixonou pelo cordeiro.” (MEYER, 2008, p. 206), Edward já se coloca na posição em que permanece até o fim da saga: o monstro, o predador, na imagem de um anjo.
São inúmeras as referências de Edward à sua qualidade de “monstro”. Em um dos momentos mais pretensamente profundos da obra, Edward e Carlisle assumem ter uma discussão sem fim sobre a questão da alma imortal. Edward julga que, por ser um monstro – palavra a que ele recorre em diversas ocasiões – ele já não tem alma, e merece ser condenado. Este é, na verdade, um dos maiores argumentos de que Edward se vale para não transformar Bella em uma vampira: de que ela, ao ser transformada, perderia sua alma imortal, condenando-a ao sofrimento eterno que Edward imagina que o espera. Carlisle discorda desta concepção, mas nem mesmo com os argumentos de seu pai adotivo Edward se convence. Ele se imagina o monstro e predador perfeito, e sofre por isso infinitamente.
A contraposição de imagem idealizada e comportamento cavalheiresco com a auto-imagem de monstro que Edward cria perdura por todas as cinco obras lidas, e fica claramente evidente emMidnight Sun, em que sua imagem negativa é refletida através de suas próprias palavras.
“Eu sorri. ‘Bem, nós podemos tentar, eu suponho. Mas eu já estou avisando que eu não sou um bom amigo para você.’
Eu esperei pela sua resposta, dividido em dois – desejando que ela finalmente ouvisse e entendesse [que ele não era bom para ela], pensando que eu poderia morrer se ela o fizesse. Que melodramático. Eu estava me tornando tão humano.” (MEYER, 2008, p. 120)
Ao lermos a obra do ponto de vista de Edward não há, na verdade, um único trecho em que a maneira como ele se julga errado, monstruoso e perigoso não apareça. Seu principal referencial para esta auto-imagem é a época em que ele diz ter se rebelado contra a maneira como Carlisle e o resto de seu coven viviam, alimentando-se apenas de animais. Neste período, Edward decidiu alimentar-se de sangue humano – claramente mais “saboroso” do que o animal. No entanto, mesmo em sua rebeldia e comprovada monstruosidade, Edward não assassinava qualquer humano: ele se alimentava apenas daqueles que ele sabia serem mal-feitores, o que ele conseguia saber por ter o poder de ler mentes.
“’Sou o melhor predador do mundo, não sou? Tudo em mim convida você… Minha voz, meu rosto, até meu cheiro. Como seu eu precisasse disso! [...] Como se pudesse ser mais rápida do que eu’, ele riu amargamente. Ele estendeu a mão e, com um estalo ensurdecedor, quebrou sem esforço um galho de sessenta centímetros de espessura do tronco de um abeto. Balançou-o na mão por um momento, depois o atirou numa velocidade ofuscante, espatifando-o em uma árvore enorme, que sacudiu e tremeu com o golpe. E ele estava na minha frente de novo, parado a meio metro, ainda como uma pedra. ‘Como se pudesse lutar comigo’, disse ele delicadamente. Fiquei sentada sem me mexer, com mais medo dele do que jamais senti. Nunca o vi tão completamente livre de sua fachada refinada. Ele nunca foi menos humano… Nem mais lindo. Pálida e de olhos arregalados, fiquei sentada como uma ave presa pelos olhos de uma serpente. Seus olhos adoráveis pareciam brilhar com uma excitação imprudente. Depois, com o passar dos segundos escureceram. Sua expressão aos poucos assumiu a máscara de uma tristeza antiga. ‘Não tenha medo’, murmurou ele, a voz de veludo involuntariamente sedutora. ‘Eu prometo…’, ele hesitou. ‘Nunca machucar você. Parecia mais preocupado em convencer a si mesmo do que a mim. ‘Não tenha medo’, sussurrou ele novamente enquanto se aproximava, com uma lentidão exagerada. Sentou-se sinuosamente, com movimentos deliberadamente lentos, até que nossos rostos estivessem no mesmo nível, a trinta centímetros de distância. ‘Perdoe-me, por favor’, disse formalmente. ‘Eu posso me controlar. Você me pegou de guarda baixa. Mas agora estou me comportando melhor.’” (MEYER, 2008, p.198-199)
Fica claro em qualquer trecho que Edward mostre suas características de monstro que ele, na verdade, não o é. Ele é um vampiro, mas se alimenta apenas de sangue de animais selvagens. É um predador, mas mesmo quando matava humanos, matava apenas os maus. Deseja o sangue de Bella mais do que qualquer outro, mas nega-se a tomá-lo para preservar sua vida. Finalmente, é um ser sobrenatural com inclinações assassinas, mas tem beleza divina. Ele é, desde a sua composição até suas ações, a personificação deste traço romântico, unindo à perfeição o sublime e o grotesco.

2.6 Leah Clearwater e a negação do Romantismo

Apesar de a saga Crepúsculo ser profundamente Romântica quando se referindo aos seus protagonistas, há nela personagens que quebram de maneira brusca esses paradigmas. O maior exemplo deles é Leah Clearwater, uma personagem secundária de história interessante e quase trágica, mas que exatamente por não possuir traços caracteristicamente Românticos tem um fim não Romântico.
Leah aparece pela primeira vez na saga em Lua Nova, na página 197, quando seu nome é mencionado em referência à família de Henry Clearwater, que acabara de sofrer um ataque cardíaco. Parte do núcleo de habitantes de La Push, Leah tem uma história nada convencional: descendente indígena, ela perde o noivo – por quem permanece claramente apaixonada até o fim da saga – para a própria prima, quando tal noivo, depois de transformar-se em um dos defensores de La Push – um lobisomem -, acaba por ter o que no livro se define por imprinting, o encontro de sua alma gêmea, algo que os lobisomens não controlam, mas também não podem negar. Depois de perder o homem que amava para a prima que, segundo a autora, era quase uma irmã para ela, Leah ainda sofre um segundo trauma: Leah Clearwater, diferentemente das outras índias, torna-se uma lobisomem junto com os homens jovens de sua tribo. Com isso, ela perde a capacidade de envelhecer e amadurecer – e também a capacidade de gerar filhos.
Leah é uma personagem que é a antítese da idealização. Amargurada, sarcástica, geralmente revoltada e sempre com raiva, ela perde tudo que já quis ter e, até o fim da saga, não recebe nada em troca. Sua mãe, que acaba por perder o marido, termina a trama com o pai de Bella. Seu irmão mais novo, Seth, é um dos personagens que fica feliz ao se saber um lobisomem. Todos os demais personagens têm, de uma maneira ou outra, um final feliz – com a exceção de Leah. Leah é, na verdade, a única personagem de toda a trama que foge em absoluto de todos os traços Românticos. Não é estonteantemente bela, nem perdoa com facilidade. Não se encaixa no padrão de donzela em perigo, nem tampouco salva as pessoas pelo prazer de ajudar. Ela é, de certa forma, a personagem mais humana e real de toda a trama, não aceitando o sobrenatural como comum, não dando mais do que recebe em troca e, por isso, sua personagem paga o preço: em uma trama em que todos recebem o que merecem, Leah ganha apenas solidão, amargura e infelicidade, como fica claro neste trecho, de Amanhecer, “[...] Diga-me quem me quer por perto, e eu vou embora.”[5] (MEYER, 2008, p.169).
Um final não-Romântico, para a única personagem não-idealizada de toda a trama.

3 CONCLUSÃO

A saga Crepúsculo, da autora norte-americana Stephenie Meyer, é recheada de traços e características Românticas a ponto de quase poder ser classificada como uma obra deste período. Tais características são extremamente acentuadas em Edward Cullen e Isabella Swan, os personagens centrais da obra, mas manifesta-se também nos personagens secundários, como Charlie Swan, Jacob Black e o restante da família Cullen. Percebe-se que os traços de comportamento destes personagens são Românticos em sua essência, reunindo características das três gerações do Romantismo, mas seus finais tendem à terceira Geração mais urbana, com fins felizes. Percebe-se também que em um dos poucos personagens da saga que não seguem os padrões Românticos, Leah Clearwater, usada neste trabalho como contraponto a Isabella e Edward, o fim da personagem foge à norma Romântica exatamente como suas características o fazem.
Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse, Amanhecer e Midnight Sun são um conjunto de obras modernas que retomam, abundantemente, traços do período literário Romântico.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AGUIAR E SILVA, Vitor Manuel. Teoria da Literatura. Coimbra: Almedina, 1968.
Curso de Literatura. Disponível em: http://www.mundocultural.com.br/literatura1/index.html, acessado em 10 de junho de 2010.
MEYER, Stephenie. Breaking Dawn. New York: Little, Brown and Company, 2008.
MEYER, Stephenie. Crepúsculo. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2008.
MEYER, Stephenie. Eclipse. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2008.
MEYER, Stephenie. Lua Nova. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2008.
MEYER, Stephenie. Midnight Sun. Download em:http://dc152.4shared.com/download/61668259/aa60269b/Midnight_Sun_Ch_1-12.pdf?tsid=20100610-210625-67b64033, acessado em 10 de junho de 2010.
WIKIPEDIA. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Romantismo#Caracter.C3.ADsticas, acessado em 10 de junho de 2010.


Ok,
Não se eskeça que eu ensinei a fazer resumo e introdução de um jeito um tanto mais elaborado. Tente seguir as instruções e fazer o seu trabalho, com as suas impressões, ok??.

Boa sorte!
Mãos à obra
________________________________________

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Exercícios - Classes Gramaticais.- 3º Ano Taparuba

Tá aí, meninos.
Bom divertimento essa semana!!

ESTUDO DIRIGIDO – PORTUGUÊS – 3º ANO/ ENSINO MÉDIO – EEOAP
Prof. Áurea Christina – 2012



EXERCÍCIOS DE REVISÃO - CLASSES GRAMATICAIS – 1ª Bateria

Gramática - Português - Classe Gramatical das palavras.
Na Língua Portuguesa existem dez classes gramaticais de palavras. Qualquer palavra usada estará inserida em uma das dez classes abaixo.

1 -Substantivo: palavras que nomeia os seres – visíveis ou não, animados ou não e também nomeia os estados, desejos, sentimentos e ideias dos seres;

2 -Adjetivo: palavra que caracteriza os seres. Refere-se sempre a um substantivo explícito ou implícito na frase, com o qual concorda em gênero e número;

3 -Numeral: palavra que expressa quantidade de pessoas ou seres, e também o lugar que elas ocupam em uma determinada sequência;

4 -Artigo: palavra que antecede o substantivo, indicando-lhe o gênero e o número, ao mesmo tempo que determina ou generaliza o substantivo;

5 -Advérbio: palavra ligada ao verbo, que o modifica , geralmente atribui uma circunstância ou característica ao verbo;

6 -Pronome: palavra que substitui , indica ou acompanha um substantivo.

7 -Preposição: palavra invariável que liga termos de uma oração, estabelecendo entre elas diversas relações;

8 - Conjunção: é a palavra invariável usada para unir orações ou termos semelhantes de uma oração;

9 - Interjeição: palavra invariável usada para exprimir emoções e sentimentos;

10 -Verbo: palavra que costuma indicar uma ação, um estado ou fenômeno da natureza. Flexiona-se em número, pessoa, tempo e voz.


1. (IBGE) Assinale o par de frases em que as palavras sublinhadas são substantivo e
pronome, respectivamente:
a)A imigração tornou-se necessária. / É dever cristão praticar o bem.
b) A Inglaterra é responsável por sua economia. / Havia muito movimento na
praça.
c) Fale sobre tudo o que for preciso. / O consumo de drogas é condenável.
d) Pessoas inconformadas lutaram pela abolição. / Pesca-se muito em Angra dos
Reis.
e) Os prejudicados não tinham o direito de reclamar. / Não entendi o que você
disse.

2. (Unb-BRASÍLIA) Assinale o item que só contenha preposições:
a) durante, entre, sobre c) para, atrás, por
b) com, sob, depois d) em, caso, após e) após, sobre, acima

3. (TTN) Observe as palavras grifadas da seguinte frase: "Encaminhamos a V.
Senhoria cópia autêntica do Edital nº 19/82." Elas são, respectivamente:
a) verbo, substantivo, substantivo d) pronome, adjetivo, substantivo
b) verbo, substantivo, advérbio e) pronome, adjetivo, adjetivo
c) verbo, substantivo, adjetivo

4. (CESGRANRIO) Assinale a opção em que a locução grifada tem valor adjetivo:
a) "Comprei móveis e objetos diversos que entrei a utilizar com receio."
b) "Azevedo Gondim compôs sobre ela dois artigos."
c)"Pediu-me com voz baixa cinqüenta mil réis."
d) "Expliquei em resumo a prensa, o dínamo, as serras..."
e)"Resolvi abrir o olho para que vizinhos sem escrúpulos não se apoderassem do que
era delas."

5. (EPCAR) Aponte a alternativa em que a palavra em negrito é conjunção
explicativa:
a) Como estivesse cansado, não foi trabalhar.
b) Assim que fores ao Rio, não te esqueças de avisar-me.
c) Retirou-se antes, já que assim o quis.
d) Não se aborreça, que estamos aqui para ouvi-lo.
e) Não compareceu, porque não foi avisado.

6. (SANTA CASA) O "que" está com função de preposição na alternativa:
a) Veja que lindo está o cabelo da nossa amiga!
b) Diz-me com quem andas, que eu te direi quem és.
c) João não estudou mais que José, mas entrou na Faculdade.
d) O Fiscal teve que acompanhar o candidato ao banheiro.
e) Não chore que eu já volto.

7. (BB) "Saberão que nos tempos do passado o doce amor era julgado um crime."
a) 1 preposição d) 7 palavras átonas b) 3 adjetivos e) 4 substantivos c) 4 verbos

8. (UC-MG) Em "Orai porque não entreis em tentação", o valor da conjunção do
período é de:
a) causa d) explicação b) condição e) finalidade c) conformidade

9. (UFMG) As expressões sublinhadas correspondem a um adjetivo, exceto em:
a) João Fanhoso anda amanhecendo sem entusiasmo.
b) Demorava-se de propósito naquele complicado banho.
c) Os bichos da terra fugiam em desabalada carreira.
d) Noite fechada sobre aqueles ermos perdidos da caatinga sem fim.
e) E ainda me vem com essa conversa de homem da roça.

10. (ITA) Assinalar a alternativa que corretamente preenche a lacuna da sentença:
"....... meus conselhos, ele pediu demissão."
a) Entrementes b) Máxime c) Mormente d) Malgrado e) Destarte

11. (PUC) No trecho: "E o azul, o azul virginal onde as águias e os astros gozam,
tornou-se o azul espiritualizado...", as palavras destacadas correspondem
morfologicamente, pela ordem, a:
a) adjetivo - pronome relativo - substantivo - pronome relativo
b) substantivo - pronome relativo - substantivo - pronome reflexivo
c) adjetivo - advérbio - substantivo - pronome reflexivo
d) substantivo - advérbio - advérbio - pronome relativo
e) adjetivo - conjunção - substantivo – pronome

12. (UM-SP) Na frase "As negociações estariam meio abertas só depois de meio
período de trabalho", as palavras destacadas são, respectivamente:
a) adjetivo, adjetivo d) numeral, adjetivo
b) advérbio, advérbio e) numeral, advérbio
c) advérbio, adjetivo

13. (UFJF-MG) Assinale a alternativa onde aparecem substantivos simples,
respectivamente, concreto e abstrato:
a) água, vinho d) Jesus, abaixo-assinado
b) Pedro, Jesus e) Nova Iorque, Deus
c) Pilatos, verdade

14. (UNESP) Assinale o caso em que não haja expressão numérica de sentido
indefinido:
a) Ele é o duodécimo colocado.
b) Quer que veja este filme pela milésima vez?
c) "Na guerra os meus dedos dispararam mil mortes."
d) "A vida tem uma só entrada; a saída é por cem portas."
e) n.d.a

15. (UNITRI-UBERLÂNDIA) Das frase seguintes, uma contém uma locução adjetiva.
Marque-a:
a) Esta é a torneira de água quente. d) Esta boneca é muito feia.
b) Comprei uma lâmpada vermelha. e) Ela é uma mulher corajosa.
c) O piano dela é alemão.

16. (CESGRANRIO) Nas frases: "faz-lhes mal a escuridão" e "... que mal se
adivinhará..." a palavra "mal" é, respectivamente, substantivo e advérbio. Pode ela
ainda ter outra classificação, como numa das frases seguintes. Assinale-a:

a) Que mal há em ser idealista?
b) Tudo, tudo vai mal, meu bom amigo.
c) A chuva começou a cair, mal saímos.
d) Os namorados agora estão de mal.
e) Provou os frutos da árvore do mal.

17. (UF-ES) Milhão tem como ordinal correspondente milionésimo. A relação entre
cardinais e ordinais se apresenta inadequada na opção:
a)cinqüenta - qüinquagésimo, novecentos e um - nongentésimo primeiro
b)setenta - setuagésimo, quatrocentos e trinta - quadringentésimo trigésimo
c)oitenta - octingentésimo (oitenta - octogésimo), trezentos e vinte - trecentésimo
vigésimo
d)quarenta - quadragésimo, duzentos e quatro - ducentésimo quarto
e)noventa - nonagésimo, seiscentos e sessenta - sexcentésimo sexagésimo

18. (UNIFOR-CE) Na frase: "Passaram dois homens a discutir, um a gesticular e o
outro com a cara vermelha", o termo a está empregado, sucessivamente, como:
a) artigo, preposição, preposição
b) pronome, preposição, artigo
c) preposição, preposição, artigo
d) preposição, pronome, preposição
e) preposição, artigo, preposição

19. (ITA) Nos trechos: "A menina conduz-me diante do leão..."; "... sobre o focinho
contei nove ou dez moscas..."; "... a juba emaranhada e sem brilho."
Sob o ponto de vista gramatical, os termos destacados são, respectivamente:
a) locução adverbial, locução adverbial, locução adverbial
b) locução conjuntiva, locução adjetiva, locução adverbial
c) locução adjetiva, locução adverbial, locução verbal
d) locução prepositiva, locução adverbial, locução adjetiva
e) locução adverbial, locução prepositiva, locução adjetiva

20. (UEPR) As formas que traduzem vivamente os sentimentos
súbitos, espontâneos e instintivos dos falantes são denominados:
a) conjunções d) locuções
b) interjeições e) coordenações
c) preposições

21. (UNB-DF) Assinale a frase em que "meio" funciona como advérbio:
a) Só quero meio quilo. d) Parou no meio da rua.
b) Achei-o meio triste. e) Comprou um metro e meio.
c) Descobri o meio de acertar.

22. (ITA) Assinale o que estiver correto:
a)Seiscentismo se refere ao século XVI.
b)O algarismo romano da frase anterior se lê: décimo sexto.
c)Duodécuplo significa duas vezes; dodécuplo, doze vezes.
d)Ambos os dois é forma enfática correta.
e)Quadragésimo, quarentena, quadragésima, quaresma só aparentemente se
referem a quarenta.

23. (FUVEST) "Podem acusar-me: estou com a consciência tranqüila." Os dois pontos
do período acima poderiam ser substituídos por vírgula, explicando-se o nexo entre as
duas orações pela conjunção:
a) portanto d) pois
b) e e) embora
c) como

24. (FECAP) Classifique as palavras como nas construções seguintes, numerando, convenientemente, os parênteses:
1) preposição
2) conj. subord. causal
3) conj. subord. conformativa
4) conj. coord. aditiva
5) adv. interrogativo de modo
( ) Perguntamos como chegaste aqui.
( ) Percorrera as salas como eu mandara.
( ) Tinha-o como amigo.
( ) Como estivesse frio, fiquei em casa.
( ) Tanto ele como o irmão são meus amigos.
a) 2 - 4 - 5 - 3 - 1 d) 3 - 1 - 2 - 4 - 5
b) 4 - 5 - 3 - 1 - 2 e) 1 - 2 - 4 - 5 - 3
c) 5 - 3 - 1 - 2 – 4

25. (MACKENZIE) Em "A maneira como respondeu é estranha", a palavra grifada é:
a) advérbio d) conjunção subordinada causal
b) pronome relativo e) conjunção subordinada comparativa
c) pronome indefinido

26. (UFUB-MG) Talvez seja bom que o proprietário do imóvel possa desconfiar de
que ele não é tão imóvel assim. A palavra destacada é, respectivamente:
a) substantivo e substantivo d) advérbio e adjetivo
b) substantivo e adjetivo e) adjetivo e advérbio
c) adjetivo e verbo

27. (FESP) Assinale a alternativa correspondente à classe gramatical da palavra a,
respectivamente: Esta gravata é a que recebi; Estou disposto a tudo; Fiquei contente
com a nota; Comprei-a logo que a vi.
a) artigo - artigo - preposição - preposição
b) preposição - artigo - pronome demonstrativo - artigo
c) pronome demonstrativo - preposição - artigo - pronome pessoal
d) pronome pessoal - preposição - artigo - pronome pessoal
e) nenhuma das alternativas

28. (UCB-Brasília) No trecho: "Todo romancista, todo poeta, quaisquer que sejam os rodeios
que possa fazer a teoria literária, deve falar do mundo e o escritor fala, eis a
literatura." A palavra destacada é:
a) advérbio de inclusão d) palavra denotadora de inclusão
b) advérbio de designação e) palavra denotadora de designação
c) conjunção subordinativa

29. (FESP) Assinale a opção em que o A é, respectivamente, artigo, pronome
pessoal e preposição:
a) Esta é a significação a que me referi e não a que entendeste.
b) A dificuldade é grande e sei que a resolverei a curto prazo.
c) A escrava declarou que preferia a morte à escravidão,
d) Esta é a casa que comprei e não a que vendi a ele.
e) A que cometeu a falta receberá a punição.

30. (FAAP) Assinale a alternativa cuja relação é incorreta:
a) Sorria às crianças que passavam - pronome relativo
b) Declararam que nada sabem - conjunção integrante
c) Que alegre manifestação a sua - advérbio de intensidade
d) Que enigmas há nesta vida - pronome adjetivo indefinido
e) Uma ilha que não consta no mapa - conjunção coord. Explicativa

31. (FMU) Procure e assinale a única alternativa em que há erro, quanto ao problema do emprego do artigo:
a) Nem todas opiniões são valiosas.
b) Disse-me que conhece todo o Brasil.
c) Leu todos os dez romances do escritor.
d) Andou por todo Portugal.
e) Todas cinco, menos uma, estão corretas.

32. (FMU) Triplo e tríplice são numerais:
a) ordinal o primeiro e multiplicativo o segundo
b) ambos ordinais
c) ambos cardinais
d) ambos multiplicativos
e) multiplicativo o primeiro e ordinal o segundo

33. (CESGRANRIO) Assinale a oração em que o termo cego(s) é um adjetivo:
a)Os cegos habitantes de um mundo esquemático, sabem onde ir...
b)O cego de Ipanema representava naquele momento todas as alegorias da noite
escura da alma ...
c)Todos os cálculos do cego se desfaziam na turbulência do álcool.
d)Naquele instante era só um pobre cego.
e)... da Terra que é um globo cego girando no caos.

34. (FATEC) Indique o erro quanto ao emprego do artigo:
a) Em certos momentos, as pessoas as mais corajosas se acovardam.
b) Em certos momentos, as pessoas mais corajosas se acovardam.
c) Em certos momentos, pessoas as mais corajosas se acovardam.
d) Em certos momentos, as mais corajosas pessoas se acovardam.
e) n.d.a

35. (PUC) Assinale a alternativa em que aparece a conjunção final que:
a) Não sei que digo a você.
b) Cinco dias são passados que dali saímos.
c) Peço a Deus que te faça venturoso.
d) Crio estas crianças, que vês, que refrigério sejam da minha velhice.
e) n.d.a

36. (PUC-RJ) Em "A gente não pode dormir / com os oradores e os pernilongos", a
expressão sublinhada pode indicar idéia de:
a) companhia d) modo
b) instrumento e) causa
c) conseqüência

37. (FAU-SANTOS) Em "Vem caindo devagar / Tão devagar vem caindo / Que dá
tempo a um passarinho... . " A palavra que dá idéia de:
a) comparação d) causa
b) oposição e) conseqüência c) condição
38. (PUCC) Assinale a alternativa onde a palavra em destaque é pronome:
a) O homem que chegou é meu amigo.
b) Notei um quê de tristeza em seu rosto.
c) Importa que compareçamos.
d) Ele é que disse isso!
e) Vão ter que dizer a verdade.

39. (UNIMEP) "Ele era um bom profissional, no entanto, não o contrataram." Comece
com: "Não o contrataram, ..."
a) por isso d) entretanto
b) mas e) ainda que
c) uma vez que

40. (UFE VIÇOSA-MG) Ele assumiu a chefia do cargo, embora não estivesse preparado para isso”. Comece com: “Ele não estava ...”
a) todavia d) desde que
b) de forma que e) conforme
c) porquanto

41. (UFV-MG) Você entregou a carta ao meu correspondente?” Comece com: “Perguntei-lhe desconfiado ...”
a) que d) se
b) como e) para que
c) quanto

42. (UM-SP) Assinale a alternativa em que há erro quanto ao uso do artigo:
a) Li a notícia no Estado de São Paulo.
b) Li a notícia em O Estado de São Paulo.
c) Esta notícia, eu a vi em A Gazeta.
d) Vi essa notícia em A Gazeta
e) Foi em O Estado de São Paulo que li a notícia.

43. (ESAN-SP) Em qual dos casos o artigo denota familiaridade:
a) O Amazonas é um rio imenso.
b) D. Manoel, o Venturoso, era bastante esperto.
c) O Antônio comunicou-se com o João.
d) O professor João Ribeiro está doente.
e) Os Lusíadas são um poema épico.

44. (ITA) Determine o caso em que o artigo tem valor de qualificativo:
a) Estes são os candidatos de que lhe falei.
b) Procure-o, ele é o médico.
c) Certeza e exatidão, estas qualidades não as tenho.
d) Os problemas que o afligem não me deixam descuidado.
e) Muita é a procura; pouca a oferta.

45. (UFU-MG) Em uma das frases, o artigo definido está empregado erradamente.
Em qual?
a) A velha Roma está sendo modernizada.
b) A "Paraíba" é uma bela fragata.
c) Não reconheço agora a Lisboa do meu tempo.
d) O gato escaldado tem medo de água fria.
e) O Havre é um porto de muito movimento.

46. (UNISINOS) O item em que a locução adjetiva não corresponde ao adjetivo
dado é:
a) hibernal - de inverno d) docente - do professor
b) filatélico - de folhas e) onírico - de sonho
c) discente - de aluno

47. (FUPE) Indique o item em que os numerais estão corretamente empregados:
a) Ao papa Paulo Seis sucedeu João Paulo primeiro.
b) Após o parágrafo nono, virá o parágrafo décimo.
c) Depois do capítulo sexto, li o capítulo décimo primeiro.
d) Antes do artigo dez vem o artigo nono.
e) O artigo vigésimo segundo foi revogado.

48. (FMU) Sabendo-se que os numerais podem ser cardinais, ordinais, multiplicativos
e fracionários, podemos dar os seguintes exemplos:

a)um (cardinal), primeiro (ordinal), Leão onze (multiplicativo) e meio (fracionário)
b)um (cardinal), milésimo (ordinal), undécuplo (multiplicativo) e meio fracionário)
c)um (ordinal), primeiro (cardinal), Leão onze (multiplicativo) e meio (fracionário)
d)um (ordinal), primeiro (cardinal), cêntuplo (multiplicativo) e centésimo (fracionário)
e)um (cardinal), primeiro (ordinal), duplo (multiplicativo), não existindo numeral
denominado fracionário

49. (UEPG-PR) Na oração: "Certos amigos não chegaram a ser jamais amigos
certos", o termo destacado é sucessivamente:

a) adjetivo e pronome
b) pronome adjetivo e adjetivo
c) pronome substantivo e pronome adjetivo
d) pronome adjetivo e pronome indefinido
e) adjetivo anteposto e adjetivo posposto

50. (UFU-MG) "foram intimados a comparecer ..."; "... não a fizeram..."; "... a sua
oração.." As três ocorrências do a são, respectivamente:
a) preposição, pronome, preposição d) preposição, pronome, artigo
b) artigo, artigo, preposição e) artigo, pronome, pronome
c) pronome, artigo, preposição

51. (UM-SP) Embora todas as conjunções abaixo sejam aditivas, uma oração apresenta
ideia de adversidade:

a) Não achou os documentos e nem as fotocópias.
b) Queria estar atento à palestra e o sono chegou.
c) Não só aprecio a Medicina como também a Odontologia.
d) Escutei o réu e lhe dei razão.
e) Não só escutei o réu mas também lhe dei razão.

52. (UM-SP) Assinale a alternativa em que a palavra como assume valor de
conjunção subordinativa conformativa:

a)Como ele mesmo afirmou, viveu sempre tropeçando nos embrulhos da vida.
b)Como não tivesse condições necessárias para competir, participou com muita
insegurança, das atividades esportivas.
c)As frustrações caminham rápidas como as tempestades das matas devastadoras.
d)Indaguei-me apreensiva como papai tinha assumido aquela contínua postura de
contemplação.
e)Como as leis eram tentativas naquele vilarejo, todos os moradores entavam um
meio de obediência às normas morais.

53. (UM-SP) Indique a oração que apresenta locução prepositiva:

a)Havia objetos valiosos sobre a pequena mesa de mármore.
b)À medida que os inimigos se aproximavam, as tropas inglesas recuavam.
c)Seguiam a maneira militar devido à influência do pai.
d)Agiu de caso pensado, quando se afastou de você.
e)De repente, riscou e reescreveu o texto.

54. (UM-SP) No período "O povoado século XX está a bordo de uma vida
desgastante, cheia de imprevistos inconvenientes", a preposição em realce está
indicando relação de:
a) fim d) modo
b) lugar e) meio
c) causa

55. (FAZLES-SP) Assinale a função morfológica de caro em "Ele vendeu caro as
mercadorias".
a) substantivo d) pronome
b) adjetivo e) preposição
c) advérbio

56. (OBJETIVO) Assinale a opção em que o termo destacado, quando posposto ao
substantivo, muda de significado e passa a pertencer a outra classe de palavras:
a) complicada solução d) certos lugares
b) inapreciável valor e) engenhosos métodos
c) extraordinária capacidade

57. (FUVEST) "... levaram a adotar"; "a sua morte..."; "... não a pôs..." As três
ocorrências do a são, respectivamente:
a) preposição, pronome, preposição d) artigo, artigo, preposição
b) pronome, artigo, preposição e) artigo, pronome, pronome
c) preposição, artigo, pronome

58. (CESGRANRIO) Assinale a opção em que a substituição efetuada não altera o
sentido fundamental do enunciado: "Não obstante essa propaganda, as dificuldades
surgiram."
a) Através dessa propaganda, as dificuldades surgiram.
b) Em razão dessa propaganda, as dificuldades surgiram.
c) A despeito dessa propaganda, as dificuldades surgiram.
d) Diante dessa propaganda, as dificuldades surgiram.
e) Depois dessa propaganda, as dificuldades surgiram.

59. (UM-SP) Aponte o período em que a palavra se seja uma conjunção subordinada integrante:
A tristeza daquela jovem se funda em problemas sociais.
Em suas palavras, não se separam mentiras e verdades.
Se essa obra fosse impressa no Brasil, teria o valor de oito mil cruzeiros.
Os dirigentes indagaram se seriam ordens adequadas a seus subalternos.
Os chefes administrativos mantêm-se atualizados quanto a questões existenciais das
mais complexas.

60. (UM-SP) Na frase: "Você é que pensa que a vida flui segundo as leis do poder!",
a palavra que classifica-se, respectivamente, como:
a) palavra de realce, pronome relativo
b) advérbio de intensidade, conjunção integrante
c) advérbio de intensidade, pronome relativo
d) conjunção integrante, pronome relativo
e) palavra de realce, conjunção integrante

61. (MACK) "Tempo-será" A Eternidade está longe / (Menos longe que o estirão / Que existe entre o meu desejo / E a palma da minha mão). / Um dia serei feliz? / Sim, mas não há de ser já: / A Eternidade está longe / Brinca de tempo-será." (Manuel Bandeira)

Em "Brinca de tempo-será", podemos afirmar que, morfologicamente, tempo-será é:

a) adjetivo composto d) locução adjetiva
b) advérbio e) substantivo composto
c) locução adverbial

62. (BB) Não contém locução adjetiva:

a) Só há tristezas na guerra. d) Olha a beleza do céu.
b) Vede a majestade do mar. e) Fala da situação da economia.
c) Admirai a grandeza do Universo.

63. (BB) Ele discursou de improviso. O termo sublinhado é locução:
a) adverbial d) adjetiva
b) conjuntiva e) prepositiva
c) explicativa

64. (BB) Morfologicamente, a expressão sublinhada na frase “Estava à toa na vida...” é classificada como locução...
a) adjetiva d) conjuntiva
b) adverbial e) substantiva
c) prepositiva

65. (BB) O João é jogador indisciplinado. O artigo transmite idéia de:
a) admiração d) inferioridade
b) indeterminação e) superioridade
c) intimidade

66. (BB) Única oração contendo, simultaneamente, pronome, advérbio e
Preposição é:
a) João viajou ontem com a esposa.
b) Não queremos partir agora.
c) Ele é muito bom quando sóbrio.
d) O que me pede está muito difícil de conseguir.
e) Hoje os atletas correrão por aqui.

67. (BANESPA) Assinale a alternativa em que é incorreta a correspondência entre a
locução adjetiva equivalente:
a) investimento de vulto: investimento vultuoso.
b) azul do céu: azul celeste.
c) calor de verão: calor estival.
d) ilha de gelo: ilha glacial.
e) empréstimo com usura: empréstimo usurário.

68. (BANESPA) Assinale a alternativa em que o termo grifado é artigo indefinido:
a) As amigas não puderam ajudá-la.
b) Anime-se, meu amigo, a garrafa ainda não está cheia.
c) Uma árvore caiu na estrada.
d) Por favor, abra a porta.
e) O pobre homem entregou-se ao vício.

69. (BANESPA) Assinale a alternativa em que o numeral está empregado
incorretamente:
a) Transcreva a página vinte e duas.
b) Moro na Rua Vinte e Cinco, casa 8.
c) A vigésima quarta hora acabara de soar.
d) Deram-se alguns saltos tríplices.
e) Meu avô tem o triplo da minha idade.

70. (BANESPA) "Que altas são as montanhas daqui!" Nesta frase, o termo grifado
classifica-se como:

a) conjunção subordinativa causal d) pronome interrogativo
b) conjunção subordinativa integrante e) advérbio de intensidade
c) pronome relativo

71. (ADM. POSTAL CORREIOS) Indique a frase com mau emprego da preposição:
a) Encontramos com os antigos colegas na conferência.
b) Recebemos autorização para sair.
c) Nestas férias fomos em cidades e recantos maravilhosos.
d) O chefe acusou o funcionário por mau procedimento.
e) Este homem é querido de todos.

72. (FARIAS BRITO) "Por que viver d’amor e amar a vida, / se para o bem amar a
vida é breve, / se para o bem viver é breve o amor?" (Guilherme de Almeida: "Soneto
VIII", em Toda a Poesia)
Uma palavra que pertence a certa classe gramatical passou, no texto, a pertencer a outra classe. Essa palavra é:

a) "Por que" d) "viver"
b) "amar" e) "bem"
c) "amor"

73. (FAC. FRANCISCANAS) Assinale a alternativa em que meio funciona como
advérbio e adjetivo, respectivamente:

a)Só quis meio quilo.Era já meio caminho andado.
b)Ficou meio triste, porque o professor lhe havia tirado meio ponto.
c)Descobri o meio de acertar o carro no meio-fio da calçada.
d)Usara de um meio, que me deixou meio indeciso.
e)Comprou somente um metro e meio de pano, porque não tinha outro meio de
pegá-lo.


(CARLOS CHAGAS) As questões 74 a 78 apresentam um período em que você
deverá modificar, iniciando-o conforme se sugere, mas sem alterar a idéia contida no
primeiro. Em conseqüência, outras partes da frase sofrerão alterações. Assinale a
alternativa que contém o elemento adequado ao novo período.

74. “Penso, logo existo”. Comece com: Existo ....
a) na medida em que d) enquanto
b) conforme e) à medida que
c) pois

75. Não chegue tarde, pois muita gente virá procurá-lo. Comece com: Muita gente
virá ...” Qual expressão completa adequadamente o sentido do período?

a) porquanto d) dado que
b) entretanto e) visto que
c) por conseguinte

76. Logo que entrou em casa, foi pedindo o jantar em altos brados. Comece com:
Foi pedindo o jantar em altos brados...” Qual expressão completa adequadamente o sentido do período?
a) somente quando d) já que
b) tanto quanto e) apenas
c) segundo

77. Eu gritei, mas ninguém ouviu. Comece com: Ninguém me ouvir ...
a) visto que d) ainda que
b) portanto e) por isso
c) então

78. Já vou distribuir as provas; portanto, guardem os livros e os cadernos. Comece com: “Guardem os livros e os cadernos...” Qual conjunção melhor completa o período, sem causar alteração no sentido geral?
a) por conseguinte d) todavia
b) que e) logo
c) mesmo que

79. (FAC. RUI BARBOSA) Assinale a alternativa em que ocorre combinação de uma preposição com um pronome demonstrativo:

a) Estou na mesma situação.
b) Neste momento, encerramos nossas transmissões.
c) Daqui não saio.
d) Ando só pela vida.
e) Acordei num lugar estranho.

80. (PUC) Em: "... esses merecem perdão ou reparação total?"
O conectivo ou encerra a idéia de:
a) exclusão d) condição
b) alternância e) simultaneidade
c) adição

81. (PUC-MG) A vida transcorre entre o sucesso e o insucesso. É importante, .........., que o adolescente enfrente adversidades, fracassos e frustrações para que possa, segundo a canção popular, "sacudir a poeira e dar a volta por cima". A conjunção que introduz uma idéia de conclusão é:
a) porquanto d) contudo
b) porém e) conquanto
c) pois

82. (TFC) Assinale a única opção que provoca mudança de sentido, se colocada no lugar da palavra sublinhada no texto ao lado: "Malgrado fosse muito inteligente, não obteve bons resultados nas provas do Concurso."
a) Embora d) Ainda que
b) Se bem que e) Não obstante
c) Dado que

83. (UNIRIO) A palavra sublinhada em “Alguém entende que fim levou o saca-rolhas?” pertence à mesma classe daquela destacada numa das opções abaixo. Assinale-a:

a) Não recitou o poema que pedíramos.
b) Saia, que promessas não nos comovem.
c) Queria saber que dificuldades ainda enfrentaremos.
d) E se repetisse que tudo não passara de um engano?
e) Que lindo dia!

84. (FUVEST) "Foi um técnico de sucesso mas nunca conseguiu uma reputação no campo à altura da sua reputação de vestiário. Começando a frase por "Nunca conseguiu uma reputação no campo à altura da sua reputação de vestiário", para manter a mesma relação lógica expressa na frase dada inicialmente deve-se continuar com:
a) enquanto foi... d) desde que fosse...
b) na medida em que era... e) porquanto era...
c) ainda que tenha sido...

85. (FUVEST) Nas frase abaixo, cada espaço pontilhado corresponde a uma
conjunção retirada.

1. "Porém já cinco sóis eram passados ....... dali nos partíramos..."
2. ....... estivesse doente faltei à escola.
3. ....... haja maus nem por isso devemos descrer dos bons.
4. Pedro será aprovado ....... estude.
5. ....... chova sairei de casa.

As conjunções retiradas são, respectivamente:

a) quando, ainda que, sempre que, desde que, como
b) que, como, embora, desde que, ainda que
c) como, que, porque, ainda que, desde que
d) que, ainda que, embora, como, logo que
e) que, quando, embora, desde que, já que

86. (FUVEST) "Pois venha de lá esse primor."; "Não está cá o artista"; "... pois venha daí um dueto comigo."
Nos trechos acima, as expressões de lá, cá, daí podem equivaler, respectivamente a:

a) de mim, contigo, dele
b) de ti, comigo, de ti
c) daquele lugar, neste lugar, dos paços
d) daquele lugar, nesse lugar, do artista
e) da inspiração do gênio, aqui, das catedrais

87. (FUVEST) "Que não pedes um diálogo de amor, é claro, desde que impões a cláusula da meia-idade."
O segmento grifado poderia ser substituído, sem alterar o sentido da frase, por:
a) desde que imponhas d) conquanto imponhas
b) se bem que impões e) porquanto impões
c) contanto que imponhas

88. (TRE-RJ) O conectivo sublinhado estabelece uma ligação mal feita (coesão
inadequada), quanto ao sentido, em:
a) Li este livro, mas não o entendi.
b) Como chegou atrasado, proibiram-no de entrar.
c) Ainda que ele queira, ninguém o ajudará em suas tarefas.
d) Estudou muito pouco para o concurso, pois conseguiu passar.
e) Tudo terminará bem, desde que o chefe permita a saída de todos.

89. (FUVEST) I - "As palavras, paralelamente, iam ficando sem vida. Já a oração era morna, depois fria, depois inconsciente..." (Machado de Assis, Entre Santos);
II - "Nas feiras, praças e esquinas do Nordeste, costumava-se ferir a madeira com o que houver à mão; gilete, canivete ou prego. Já nos ateliês sediados entre Salvador e o Chuí, artistas cultivados preferem a sutileza da goiva ou do buril." (Veja, 17/8/94, p. 122);
III - "Ele só se movimenta correndo e perdeu o direito de brincar sozinho na rua onde mora - por diversas vezes já atravessou-a com o sinal fechado para pedestres, desviando-se de motoristas apavorados." (Veja, 24/8/94, p. 60)

Nos textos acima, o tempo já exprime, respectivamente, a idéia de:

a) tempo, causalidade, intensificação
b) oposição, espaço, tempo
c) tempo, oposição, intensificação
d) intensificação, oposição, tempo
e) tempo, espaço, tempo

90. (TRE-MG) "É difícil enfrentar ausência de uma pessoa querida, mas nada se compara à dor e à incerteza dos familiares das vítimas de seqüestro." No período acima, não se encontra exemplo de:
a) pronome d) preposição
b) adjetivo e) advérbio
c) conjunção

91. (FUVEST) Ao ligar dois termos de uma oração, a preposição pode expressar, entre outros aspectos, uma relação temporal, espacial ou nocional. Nos versos: "Amor total e falho... Puro e impuro... Amor de velho adolescente...", a preposição de estabelece uma relação nocional. Essa mesma relação ocorre em:
a) "Este fundo de hotel é um fim de mundo."
b) "A quem sonha de dia e sonha de noite, sabendo todo sonho vão."
c) "depois fui pirata mouro, flagelo da Tripolitânia."
d) "Chegarei de madrugada, quando cantar a seriema."
e) "Só os roçados da morte compensam aqui cultivar."

92. (CEETEPS) "Esse progresso mecânico, porém, baseado apenas no domínio... "Assinale a alternativa em que não aparece palavra ou expressão que substitui, com perfeição, a conjunção "porém":
a) entretanto d) porque
b) no entanto e) contudo
c) todavia

93. (FUVEST) A classe gramatical da expressão ao contrário, em "mas, ao contrário,tende a satisfazer as exigências do mercado", é:
a) locução prepositiva d) conjunção coordenativa adversativa
b) locução adverbial e) conjunção subordinada concessiva
c) advérbio de negação

94. (TRE-MT) Na frase "De um ano que, afinal, também não teve muitos escrúpulos, pois só se contradisse", a palavra pois pode ser substituída, sem alteração de sentido,
por:
a) portanto d) caso
b) por conseguinte e) ainda que
c) visto que

95. (TRE-ES) "Poeta famoso" e "gente humilde" formam sintagmas nominais utilizando palavras de classes gramaticais respectivamente semelhantes. Essas classes são:
a) nomes e verbos
b) substantivos e adjetivos
c) substantivos e verbos
d) adjetivos e substantivos
e) nda
96. (TRE-ES) Escrever “em cima” da fachada é escrever .......... ela.
a) sobre d) em baixo de
b) sob e) ao lado
c) sub


97. (TRE-MG) A classe da palavra destacada está incorretamente indicada nos
parênteses em:

a)O que se observa são as vãs tentativas da polícia de seguir seus rastros. (adjetivo)

b)As pessoas a quem me refiro certamente aprovaram medidas mais nérgicas.
(pronome relativo)

c)São muitas as pessoas que já experimentaram o que estou vivendo. (conjunção integrante)

d)Intimaram o suspeito a comparecer perante o delegado, para dar utras
explicações (preposição)

e)Novos telefonemas aconteceram, sempre com as provas de que o seqüestro
estava vivo. (advérbio)


98. (TRE-RJ) "porque naqueles perduraram por mais tempo hábitos feudais, quer nas relações jurídicas, quer nas econômicas". Das alternativas processadas na passagem acima, aquela em que ocorre substancial mudança de sentido é:
a)....., seja nas relações jurídicas, seja nas econômicas.
b)....., não nas relações jurídicas, mas sim nas econômicas.
c)....., tanto nas relações jurídicas, quanto nas econômicas.
d)....., não só nas relações jurídicas, mas ainda nas econômicas.
e)....., não apenas nas relações jurídicas, senão também nas econômicas.

99. (TRE-RJ) "todos os animais sejam em princípio iguais perante a lei, conquanto
alguns sejam mais iguais que outros." Das alterações processadas na oração
sublinhada, aquela que, além de apresentar substancial mudança de sentido, se
classifica diferentemente das demais:
a) malgrado alguns sejam mais iguais
b) posto que alguns sejam mais iguais
c) a menos que alguns sejam mais iguais
d) não obstante alguns serem mais iguais
e) a despeito de alguns serem mais iguais

100. (TRE-RJ) Apesar da mudança da ordem das palavras em passagens do texto, o sentido permanece basicamente o mesmo na seguinte alternativa:

a)"a qual pressupõe, evidentemente, como diria Orwell, que todos os animais sejam, em princípio iguais perante a lei" / a qual pressupõe, como evidentemente diria Orwell,que todos os animais sejam em princípio iguais perante a lei”.

b)"a ‘Comman Law’ é uma coletânea de casos e precedentes, antes que um sistema apriorístico e formal de relações." / a "Common Law" é antes uma coletânea de casos e precedentes, que um sistema apriorístico e formal de relações.

c)"a lei pode ser obedecida, porque ordinariamente apenas codifica o costume
corrente." / a lei pode ser obedecida, apenas porque ordinariamente codifica o
costume corrente.

d)"é possível configurar-se então a existência de dolo ou crime praticado por
pequena minoria social." / é possível configurar-se a existência de dolo ou crime praticado então por pequena minoria social.

e)"e que às vezes transplantam formas jurídicas importadas de além-mar" / e que transplantam formas jurídicas às vezes importadas de além-mar.


CLASSIFICAÇÃO DE PALAVRAS
1 - E 22 - D 43 – C 64 - B 85 - B
2 - A 23 - D 44 - B 65 - C 86 - B
3 - C 24 - C 45 - D 66 - D 87 - E
4 - E 25 - B 46 - B 67 - A 88 - D
5 - D 26 – B 47 - B 68 - C 89 - C
6 - D 27 - C 48 - B 69 - C 90 - E
7 - E 28 - E 49 - B 70 - E 91 - E
8 - E 29 - E 50 - D 71 - C 92 - D
9 - B 30 - E 51 - B 72 - B 93 – B
10 - D 31 - A 52 - C 73 - B 94 - C
11 - B 32 - D 53 - C 74 - C 95 - B
12- B 33 - E 54 - B 75 - C 96 - A
13 -C 34 - A 55 - C 76 - E 97 - C
14- A 35 - D 56 - D 77 - D 98 - B
15- A 36 - E 57 - C 78 - B 99 - C
16- C 37 - E 58 - C 79 – B 100 - B
17- C 38 - A 59 - D 80 - B
18– C 39 - E 60 - E 81 - C
19– D 40 - A 61 - E 82 - C
20 - B 41 - D 62 - A 83 – C
21 - B 42 - A 63 - A 84 - C

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Gabarito das primeiras atividades sobre VERBOS - 2º A2 - Manhã

GABARITO


1. C
2. B
3. D
4. B
5. B
6. E
7. D
8. B
9. B
10. A
11. A
12. D
13. B
14. E
15. E
16. E
17. B
18. E
19. D
20. C
21. C
22. C
23. D
24. C
25. E

É isso, gnt. A Segunda bateria de exercícios já tá com o Cacau lá no polo e com o Ícaro, pra postar no site.
Ótimo carnaval pra todo mundo aê!!

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Defina "Vândalo", por favor!!




Lembra que a gnt falou disso, ano passado?
Como será que andam as condições de trabalho deles hoje??

sábado, 28 de janeiro de 2012

Dos Diários do Vampiro ao Silêncio, a sequência do Sussurro, passando pela Rússia de Tolstói




Bom, pessoal,

Pra escrever bem e ampliar vocabulário, o negócio é ler, ler e ler... por isso, uma das leituras da semana é o terceiro livro da série Hush Hush, Sussurro, em português, da americana Becca Fitzpatrick. Aquela história do ex-anjo-sexy-bad-boy Patch Cipriano,






com a estudante sem sal Nora Gray, que eu, particularmente, desprezei no segundo livro, o "Crescendo".

Eu estava, de novo, numa fase lobisomem, depois de ter visto o Breaking Down I, o Amanhecer, que me deixou meio contaminada, tipo uivando pra lua cheia, e na sequência, embrenhei pelas curvas do corpo de um Tyler Lockwood em fase de aceitação.




Cuidado aí pra não errar de lobisomem! "Tyler" e "Taylor" são duas coisas diferentes. Não é porque os dois uivam que é tudo igual...

A não ser pelo fato de que Michael Trevino, o Tyler,




e Taylor Lautner, o Jacob,



competem naquela cláusula que faz a gente perder o sono.





Mas aí... Voltei a gostar de sangue porque Stefan continua sendo meu grande presente de natal e Damon, uma espécie de doce light, já que a glicose tá meio alta.



Aliás, capítulo 3x13 sái no site dia 02 de fevereiro, se o problema da lei antipirataria deixar. Temos que voltar a esse assunto em breve.



Pra rebater, eu vou de anjo caído de novo, até porque eu não resisto a uma sequência... e o segundo livro me deixou meio pra baixo.



Todo mundo sabe que acompanhar os gostos literários e cinematográficos dos meus alunos me deixa meio adolescente tbm. Por isso eu rebati lendo o romântico "Um homem de sorte" do Nickolas Sparks, que não tem nada a ver com os livros adolescentes, mas que me fez pensar sobre como o Nickolas descobriu o caminho das pedras com histórias leves e verdadeiras, tipo essa, ou O diário de uma paixão, Um amor pra recordar, O milagre, Meu querido John, etc, etc... Preciso me preparar para estudar o Romantismo, com os meus segundos anos. Certamente, vai ajudar. O problema é a overdose de emoção, que dá uma ressaaaaaca...

Ok, mas voltando ao Silêncio... a sinopse é o seguinte:"Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da mãe. Em meio a tudo isso, Nora é assombrada por constantes pensamentos com a cor preta, que surge em sua mente nos momentos mais improváveis e parece conversar com ela. Alucinações, visões de anjos, criaturas sobrenaturais.



Aparentemente, nada disso tem a ver com sua antiga vida. A sensação é de que parte dela se perdeu. É então que o caminho de Nora cruza o de um sexy desconhecido, a quem ela se sente estranhamente ligada. Ele parece saber todas as respostas… e também o caminho até o coração de Nora.



Cada minuto a seu lado confirma isso, até que Nora se dá conta de que pode estar apaixonada. De novo. “O relacionamento tempestuoso entre Nora e Patch, o típico bad-boy, é verdadeira e perturbadoramente sedutor.” Publishers Weekly

Pra desintoxicar, vamos beber numa fonte intelectual (kKKKKK). Essa semana, começo uma série de autores russos: Tolstói, Dostoievski, Gogol e Tchekhov. São pequenos contos e não enredos complexos como Os irmãos Karamazov, ou Anna Karenina, então, acho que vai ser bem legal.

É isso. Volto depois contando o que achei.